FSMA – GFSI ATENDE TODOS SEUS REQUISITOS?

Essa é uma dúvida recorrente, desde que o FSMA – Food Safety Modernization Act foi assinado. Para responder essa questão, vou me apoiar em artigo de David Acheson, CEO do Acheson Group e Conselheiro Adjunto da FDA, disponibilizado pela GFSI por ocasião da Conferência de Houston.

FSMA – SUA EMPRESA ESTÁ PREPARADA? Parte 2

Complementando post anterior, Dra Hilary, no seu overviewsobre o FSMA – Food Safety Modernization Act, mostrou slide sobre os prazos envolvidos. É importante observar que esses prazos dependem de variáveis como tamanho ou outros, e portanto a legislação deve ser consultada para maior precisão

FSMA – SUA EMPRESA ESTÁ PREPARADA? Parte 1

O FSMA é a lei mais radical sobre segurança de alimentos, ou inocuidade de alimentos, já promulgada nos Estados Unidos, assinada em 2011 por Barak Obama, que tem como grande enfoque a prevenção acima de tudo e que vai pouco a pouco influenciando todo o mundo.

AUDITORIAS NÃO ANUNCIADAS VÊM POR AÍ – SUA EMPRESA JÁ ESTÁ PREPARADA?

O acesso à 7a versão dos Requisitos de Benchmarking da GFSI o é dado no site www.mygfsi.com aos proprietários dos esquemas/ normas.

Durante a fase de consulta pública recebemos na Food Design o documento com as propostas de alteração, que foi enviada para todos os stakeholders cadastrados, para que contribuíssem com suas avaliações críticas. 

VERSÃO 7 ELEVA BARRA DA SEGURANÇA DE ALIMENTOS

A harmonização da segurança de alimentos através das fronteiras e das barreiras é a uma das principais realizações da GFSI. 

Cumprindo com sua missão de melhoria contínua, a GFSI anunciou durante a Conferência, a publicação da 7ª versão do documento base para processo de benchmarking, que passou a ser chamado de Requisitos de Benchmarking (Benchmarking Requirements).
 
Quais são as maiores mudanças?
A versão 7 inclui no processo de benchmarking:
– novos requisitos contra fraude de alimentos
– incorpora auditorias não anunciadas
– expande requisitos sobre competência dos auditores
– aumenta a transparência
– aumenta a objetividade  
– incorpora um novo escopo: Brokers /Agentes de Venda.

Com esta publicação a GFSI “eleva mais uma vez a barra” de boas práticas de segurança de alimentos, e induz uma nova rodada de atualização dos esquemas/ normas já considerado/as equivalentes. Novos esquemas/ normas que queiram solicitar benchmarking já devem incluir estes novos requisitos. 


Autor: Ellen Lopes – eal

#GFSI  
#BenchmarkingGFSI  

#Processodebenchmarking #BenchmarkingRequirements

GFSI LEVA EMPRESÁRIO DO CHILE A REALIZAR SEU SONHO


Hoje começo a caminho da volta, iniciando a viagem no fim da tarde, chegando amanhã de manhã.
Mas ainda dá tempo de fazer mais um post.

A GFSI produziu uma série de vídeos que foram mostrados durante a Conferência. Pouco a pouco vou compartilhando todos com vocês.Vou hoje mostrar o primeiro deles, sobre um caso de sucesso no Chile. 


Walter Pacheco, CEO da ANDESAL mostra como a GFSI os ajudou a realizar um grande sonho. Está em espanhol, com legenda em inglês. Se alguém quiser fazer uma legenda em português e me enviar para compartilhar, ficaremos todos muito gratos/as.

Acesse:
https://youtu.be/joRGqn8dS48?list=PLLhngS1fzGFFU8vXK4xYK1rA9ad8ZgrJ_

Ellen Lopes – eal

VEM AÍ O GUIA “DEFINITIVO” DA CULTURA DA SEGURANÇA DE ALIMENTOS DA GFSI


Foto do sub grupo: Laura, Dan,Bertrand, Ellen Lopes, Kathleen 
Autor: Ellen Lopes

Ufff! Foram três dias intensos na Conferência da GFSI – Global Food Safety Initiative aqui em Houston durante a semana do carnaval, seguidos de dois dias de trabalho dos Technical Working Groups – TWG.

Eu, Ellen Lopes, tive a satisfação de ser a única brasileira selecionada para fazer parte do TWG de Cultura de Segurança de Alimentos, trabalho voluntário, iniciado durante a Conferência de 2016. A seleção foi feita com base em currículo e experiência. Por isso continuei mais dois dias aqui na “folia”.
Ano próximo vamos lançar o Guia de Cultura de Segurança de Alimentos. Estamos trabalhando com uma seleção de grandes especialistas, apoiados por uma equipe de cientistas sociais.

Por que um guia, e não uma norma? Para respeitar o fundamento básico de que a cultura varia de empresa a empresa, de país a país, de região a região, portanto não poderíamos “engessar” as empresas nesse aspecto.

Para quem ainda não sabe, a Food Design trabalha formalmente com apoio comportamental para implementar a Cultura de Segurança de Alimentos desde 2004, contando com o apoio da da consultora Rose Mary Lopes, Ph.D. na área de psicologia social. Rose, a quem agradeço, tem me ajudado a cumprir as tarefas de retaguarda que temos feito para evoluir com esse trabalho. Está sendo muito legal  ver que a metodologia que adotamos na Food Design para Cultura de Segurança de Alimentos, orientada pela Dra Rose, e validada na prática por grandes empresas onde atuamos, já seguia as referências indicadas pelo grupo de cientistas, com uma vantagem adicional: nosso pulo do gato, que por razão de confidencialidade não podemos revelar, mas que está à disposição para os clientes que precisarem de ajuda nessa área.


Acima postei foto do meu sub grupo, comigo, Laura, Dan, Bertrand e Kathleen. A coordenação é da Lone, que mostrou o resultado de nosso trabalho ao final da reunião para a direção da GFSI. A foto não saiu muito boa, mas fica aqui como registro.

É sabido que, dependendo do cenário da empresa, somente “tecnicalidades” não têm o poder de implementar ou de melhorar a cultura de segurança de alimentos, necessitando de ir além. 
E a empresa faz algum trabalho além da parte técnica para a cultura de segurança de alimentos? Gostaria de compartilhar sua prática com os leitores?

Autor: Ellen Lopes

#culturadesegurançadealimentos

COLABORAÇÃO: GFSI CONSEGUE O QUE NENHUMA EMPRESA OU PAÍS SOZINHO CONSEGUIRIA

A abertura da Conferência foi feita por Mike Robach, presidente da diretoria da GFSI e Vice Presidente da Qualidade, Segurança de Alimentos e Assuntos Regulatórios da Cargill. Mike é um profissional extremamente respeitado, e foi uma das primeiras pessoas que conheci em 2009, quando comecei a frequentar as conferências da GFSI, ocasião em a entidade era ainda muito pouco conhecida no Brasil.

Mike descreveu as recentes mudanças na governança da entidade e destacou a enorme importância e reconhecimento conquistados pela entidade:  ao reunir a indústria e outros stakeholders, a GFSI consegue o que nenhuma empresa, ou país, poderia fazer sozinho. Com a comercialização global de alimentos há a necessidade de trabalharmos juntos para garantir um suprimento de alimentos seguros. Os requisitos de Benchmarking do GFSI representam um esforço colaborativo espetacular, refletindo anos e anos de experiência de especialistas da indústria e de cientistas de alimentos”. 

Este reconhecimento coletivo é cada vez de maior interesse para os governos nacionais e de suas agências de Segurança de Alimentos, particularmente graças à melhoria da eficiência permitida pela abordagem da GFSI, representada pelo aumento da aceitação da certificação de terceira parte.

Presidente da diretoria da GFSI e Vice Presidente da Qualidade, Segurança de Alimentos e Assuntos Regulatórios da Cargill – autor foto: Ellen Lopes

UM “G30” DA SEGURANÇA DE ALIMENTOS? Sim, o futuro já começou: colaboração público-privada para a Segurança de Alimentos


Logo antes da 16ª Conferência Global de Segurança de Alimentos, a GFSI reuniu em Houston mais de 100 representantes de 30 instituições, de mais de 20 países, para discutir PPP – parceria público privada em prol da Segurança de Alimentos.

O objetivo foi continuar a discussão informal das reuniões de 2016 sobre certificação privada, bem como ampliar o escopo e discutir questões e tendências emergentes de Segurança de Alimentos. E também explorar como as agências regulatórias e o setor privado podem alcançar conjuntamente melhores resultados em Segurança de Alimentos.

Países como Japão, China, México, Canadá, Reino Unido e Estados Unidos da América tiveram uma forte presença nesta segunda edição das reuniões, enviando delegações de suas agências de Segurança de Alimentos

Dentre as organizações multilaterais, participaram a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) e a Corporação Financeira Internacional (IFC).

Este “G30” da Segurança de Alimentos reuniu-se para discutir a integração potencial de sistemas privados de garantia de Segurança de Alimentos dentro do contexto de sistemas nacionais de controle, e como alavancar o investimento da indústria em certificação privada para melhoria dos resultados de políticas públicas.

Texto e foto – adaptado de “Latest GFSI news from Press Conference at Global Food Safety Conference in Houston”, 01/03/17.

Autor Ellen Lopes – eal

#GFSI17  #GFSI2017

PROGRAMAÇÃO NUM PISCAR DE OLHOS

Ontem o dia foi intenso, e as 24 horas valeram por experiências e contatos que valeram por mais de uma semana. Como é impossível mostrar tudo ao mesmo tempo, vou mostrando os highlights aos poucos. 
Na figura abaixo mostro um overview da programação. Você tem de clicar na figura para ampliar e conseguir ler.


Não participei do Discovery Tour da 2a feira, que embora com certeza muito interessante, tinha um pagamento adicional bastante salgado, e então decidi participar somente da terça em diante.
Após encerramento do evento, participarei adicionalmente na quinta e na sexta das reuniões do TWG – Technical Working Group – de Cultura de Segurança de Alimentos, com o qual estou contribuindo desde o ano passado.

Autor: Ellen Lopes eal

#GFSI2017 #GFSI17


POR QUE ESTA CONFERÊNCIA DA GFSI É UM EVENTO ÚNICO?

Porque é a única conferência que reúne ao mesmo tempo especialistas da indústria, do food service, do varejo, os proprietários das normas de gestão de segurança de alimentos, especialistas da academia e autoridades regulatórias de todo o mundo como o objetivo comum de discutir os avanços da segurança de alimentos de um ponto de vista global, atual, e ao mesmo tempo, com o foco no futuro.
VANTAGENS
A Conferência oferece a oportunidade de você conhecer e poder discutir com os diretores globais dos grandes players mundiais da área de alimentos; de fazer parcerias com colegas da indústria, do food service, do varejo e autoridades regulatórias de todo o mundo; de compartilhar conhecimentos; de beneficiar-se de apresentações provocadoras de especialistas de renome internacional, e claro, de ouvir idéias inovadoras.
Autor: Ellen Lopes eal
#GFSI2017 #GFSI17

Português PT English EN Español ES