Conferência, dia 1: Stakeholder Meeting

Dando continuidade ao Dia 1 da Conferência, vou comentar sobre a primeira atividade do dia escolhida por mim.

Como assim, escolhida? É que havia duas atividades ocorrendo em paralelo, esta e mais uma “reunião de iniciação”, a qual não escolhi justamente por se tratar da apresentação do que é o GFSI e qual a sua importância, o que já venho acompanhando há anos como muitos sabem.

O Stakeholder Meeting, que ocorre a cada ano no início da Conferência, é uma sessão de duas horas cujo objetivo é apresentar as conquistas do ano que passou e projetar estratégias para o futuro.

Os trabalhos dessa reunião começaram após a fala de boas vindas do atual presidente do GFSI, Jürgen Matern, que é também Vice Presidente de Assuntos Regulatórios e Relações Externas da rede varejista alemã Metro. Jürgen já é conhecido dos profissionais brasileiros de nossa área, tendo comparecido ao Seminário de HACCP promovido  em 2010 pela Food Design em parceria com o ITAL. 

Vale observar que ao final da Conferência deste ano será oficialmente anunciado o novo presidente do GFSI, já que o mandato de cada presidente tem a duração de dois anos. Já sabemos quem será o novo presidente, mas vamos deixar para fazer o anúncio “oficial” ao final do blog.


Jürgen discorreu sobre o trabalho feito pelo Grupo de Trabalho “Competência dos Auditores”. Os convidados foram divididos em grupos e receberam a missão de discutir alguns temas, dentre os quais cito os que me pareceram mais importantes:

       O Grupo de Trabalho “Competência dos Auditores” fez um bom trabalho?
       Quais os problemas da estratégia adotada?
       Que outras estratégias deveriam ser consideradas?

Ao final da discussão. cada grupo relatou por escrito as suas conclusões, que servirão para nortear o trabalho do GFSI ao longo de 2012.

Mostro a seguir as imagens do meu grupo de trabalho e de um outro grupo que contou com a participação de Juliane Dias Gonçalves, também do Brasil. A Juliane se prontificou a colaborar com nosso blog, uma ajuda mais que bem vinda pela qual agradeço desde já.


Seu comentário é bem vindo!


Para comentar, clique no título do post e desça até o final dele, onde será possível comentar na janela destinada a este fim.

Conferência, dia 1: acordo IFS – Food Design

Ontem, quarta feira, após as reuniões dos Grupos de Trabalho a que me referi no post anterior, é que começou de fato a Global Food Safety Conference.

A manhã foi voltada ao Stakeholder Meeting, do qual participei. A tarde foi recheada de excelentes apresentações, seguidas de um coquetel. À noite houve um jantar oferecido pela DNV.

Eu tinha a intenção de contar tudinho já ontem após o jantar. Mas creiam-me que depois desta “maratona” eu estava bem cansada, e assim resolvi deixar para ir fazendo os próximos posts aos poucos.

Por enquanto, só vou anunciar uma novidade: a Food Design fez um acordo com George Gansner, representando o IFS que tem sede na Alemanha, e Caroline Nowak,  representante dessa entidade no Brasil, para conduzir em nosso país os treinamentos oficiais do IFS. Portanto, as empresas brasileiras poderão contar com mais esta opção de esquema reconhecido pelo GFSI. Em breve anunciaremos os primeiros cursos, que serão voltados aos profissionais das empresas que desejem implementar a norma IFS.
Seu comentário é bem vindo!


Para comentar, clique no título do post e desça até o final dele, onde será possível comentar na janela destinada a este fim.

Grupo de Trabalho “Mercados Globais”

Ontem o dia foi dedicado a reuniões de Comitês Técnicos. Participei do Grupo de Trabalho “Mercados Globais”, no qual apresentei a experiência da Food Design no projeto voluntário que estamos desenvolvendo em Moçambique, onde Jonathan Motillon da equipe Food Design está dando continuidade ao projeto iniciado em 2010 a convite da UNIDO – United Nations Industrial Development Organization.

Este Grupo de Trabalho tem o objetivo de apoiar a adesão de proprietários de fazendas de pequeno e médio porte, ou de empresas de países em desenvolvimento e até de países menos desenvolvidos da OCDE, a um processo de melhoria contínua em sistemas de gestão da segurança de alimentos que possa pouco a pouco levar estas fazendas e empresas a aderirem ao programa.

Discussão sobre treinamento com Cindy Jiang, Diretora para Qualidade Global, Segurança de Alimentos e Nutrição do McDonald’s USA (terceira da esquerda para a direita)

Grupo de Trabalho “Mercados Globais”, com coordenação de Frank Yiannas,Vice-Presidente de Segurança de Alimentos Corporativo do Walmart (segundo da direita para a esquerda)

Seu comentário é bem vindo!


Para comentar, clique no título do post e desça até o final dele, onde será possível comentar na janela destinada a este fim.

Conhecendo o local do evento

Ontem o tempo já estava bem melhor, com temperaturas bastante agradáveis. Ainda bem, porque ninguém merece vir para Orlando e passar frio, mesmo que esteja a trabalho. Hoje a temperatura já vai para 24ºC e a minima será de 13ºC. Bem melhor para uma criatura tropical!

Ontem, dediquei alguns momentos para conhecer melhor o hotel. Aqui vão três imagens que mostram um pouco como é o ambiente.

O lobby tem pé direito imensamente alto e uma decoração muito leve e agradável.

Dentre as lojas disponíveis, há uma galeria de arte com pinturas e esculturas, dentre as quais me encantei com uma de cristal, para Swarowski nenhum botar defeito. Veja a seguir:

Seu comentário é bem vindo!


Para comentar, clique no título do post e desça até o final dele, onde será possível comentar na janela destinada a este fim.

Bem vindos à Conferência Global de Segurança de Alimentos, edição 2012

Prezados leitores,
Pelo quarto ano consecutivo estarei acompanhando com vocês a Conferência Global de Segurança de Alimentos, que será realizada em Orlando entre 15 e 17 de fevereiro. Já estou na Flórida para participar do evento, e este é o terceiro ano em que estarei postando notícias em um blog criado especialmente com essa finalidade. Cabe destacar que na conferência deste ano, a Food Design foi convidada pelo GFSI para atuar como Media Partner da entidade.
A Food Design começou a participar dessas conferências em 2009 com o intuito de trazer para o Brasil as tendências em segurança de alimentos na visão da mais importante entidade internacional para o varejo e a indústria do setor, o GFSI – Global Food Safety Initiative. Tivemos inclusive a satisfação de convidar o board do GFSI para vir pela primeira vez ao Brasil em 2010, por ocasião do Seminário de HACCP que promovemos anualmente e para o qual contamos com a parceria do ITAL. Em 2011 ficamos muito satisfeitos por apoiarmos a divulgação do GFSI Focus Day, que teve mais de 400 participantes. Essa experiência veio validar o nosso empenho no sentido de alertar a comunidade brasileira de alimentos para a crescente importância do GFSI.
O local da Conferência deste ano é o Hyatt Regency Grand Cypress, um resort com uma ampla área verde, defronte a um lago e com sacada em todos os apartamentos. Ontem, pensei em aproveitar uma parte do dia para fazer um pouco de exercício e ao mesmo tempo relembrar a infância nos pedalinhos do lago, mas a temperatura de manhã estava em 4º centígrados (à noite, caiu para zero grau). Como diriam nossos amigos gaúchos, “é frio pra renguear cusco”!
Após o sucesso das edições de 2011 e 2010 em Londres e em Washington, respectivamente, o evento retorna aos Estados Unidos com um comparecimento récorde: são mais de 900 especialistas em segurança de alimentos inscritos, sendo que 80% dos que participaram na edição do ano passado estarão presentes neste ano.
Mais de sessenta nacionalidades estarão representadas no encontro, que congrega os maiores especialistas em segurança de alimentos e executivos encarregados da tomada de decisões nas empresas do setor em todo o mundo.
Esta Conferência é uma ocasião especial para quem quer se atualizar sobre os mais recentes desenvolvimentos em segurança de alimentos, com palestrantes de renome internacional, e é também uma oportunidade única de networking para os participantes com seus pares de outros países.
O tema deste ano é “Promover a Segurança Mundial de Alimentos através da Colaboração”. Será mostrada a importância de cada uma das partes envolvidas ao longo da cadeia de abastecimento, do campo à mesa, e como essa colaboração permite entregar alimentos mais seguros aos consumidores em todo o mundo.
Segundo Frank Yiannas, Vice-Presidente de Segurança de Alimentos Corporativo do Wal-Mart e Presidente da Comitê Organizador da Conferência, o conceito de responsabilidade compartilhada para a segurança de alimentos nunca foi mais importante do que hoje. “Os fabricantes por si só não podem fazê-lo. Os varejistas por si só não podem produzir alimentos seguros. Nem as autoridades regulatórias, nem os consumidores”. Para ilustrar essa afirmação, Yiannas vai abrir o programa dando a palavra a Yves Rey, Presidente do GFSI e Diretor Corporativo para a Qualidade da Danone, demonstrando como um grande varejista dos Estados Unidos e um fabricante mundial de produtos lácteos com sede na Europa colaboram para além das fronteiras e culturas em um esforço para garantir alimentos seguros aos clientes ao redor do mundo.
“Uma maior colaboração significa também mais interação entre os setores público e privado. Por esta razão, algumas das organizações mais influentes do mundo também estarão presentes: ISO, FAO, UNIDO, OMS, FMI, GMA, ACTA, apenas para citar alguns exemplos”, acrescenta Yiannas.
Dentre as organizações internacionais e locais representadas no programa, a Conferência contará com a participação do FDA na pessoa de seu Comissário Adjunto, Michael R. Taylor, que demonstrará como o fornecimento de alimentos seguros no século 21 vai exigir novas abordagens regulatórias, bem como uma maior colaboração entre todos os interessados.
O papel dos setores público e privado está mudando. Agora, todos compartilham a responsabilidade e todos são parte da solução. As palestras darão uma visão do que realmente significa a responsabilidade compartilhada quando somos confrontados com surtos de doenças transmitidas por alimentos. Como podemos responder com mais eficiência? Que lições aprendemos com o caso E. coli na Alemanha? Ou com o surto de Listeria em melões nos Estados Unidos, em que todas as partes interessadas colaboraram para o desenvolvimento de sistemas de prevenção?
E o que acontece no caso de um desastre natural, quando as cadeias de abastecimento se rompem e nos deixam ainda mais vulneráveis aos perigos, com a necessidade tomar precauções além das que normalmente são tomadas? As diferentes sessões temáticas vão oferecer a  a oportunidade de ouvir, discutir, desafiar e avançar de forma colaborativa sobre estes temas.
Veja o programa completo no site www.tcgffoodsafety.com

Seu comentário é bem vindo!


Para comentar, clique no título do post e desça até o final dele, onde será possível comentar na janela destinada a este fim.
Português PT English EN Español ES