SÉRIE IRSFD – CASOS DE SUCESSO – BARION

“É possível transformar a Cultura de Segurança de Alimentos numa empresa familiar com quase 60 anos de idade e marcas consolidadas”.

Barion – Programa Global Markets APAS – Empresa participante da XVIII edição do Prêmio Food Design

Histórico

A Barion foi fundada em 1960 por Sr. Ricardo Barion e seus três filhos: Ricardo Jr., Roberto e Rommel. Empresa familiar, iniciou as atividades como distribuidora de doces e futuramente expandiu o portfólio de produtos tornando-se uma indústria especializada na fabricação de chocolates e biscoitos. No início dos anos 80, iniciou produzindo ovos de páscoa, pão de mel e rolinhos de wafer. 13 anos depois, foi construída uma nova unidade em um terreno com mais de 32 mil metros². Ampliou-se a área industrial e os mercados de atuação, com três frentes de negócio: varejo, food service e private label.

No mercado de varejo está presente nos maiores varejistas do Brasil e em diversos pontos de venda com as marcas: Barion, Tubetes®, Mendo Wafer® e NutCream®. No mercado de food service fornece produtos para as indústrias de transformação, confeiteiros e pessoas que possuem seu próprio negócio. São produtos práticos, padronizados, saborosos e que propiciam rentabilidade aos transformadores e revendedores. E no mercado de private label (terceirização), produz diversos produtos com a marca de outras empresas, cumprindo com um rigoroso processo de qualidade, atende grande players como Cacau Show, Grupo Pão de Açúcar, Carrefour, entre outros.

Barion hoje

Atualmente, a Barion situada em Colombo – Paraná – PR, além de comercialização de seus produtos nas três frentes de negócios, tem uma loja da fábrica na sua sede, venda em sua loja on-line e delivery local por meio de aplicativos. A empresa tem como pilares fundamentais: tradição, inovação e qualidade.

Desde 2015, sob a gestão da terceira geração, a empresa tem crescimento médio de 20% ao ano. Esse crescimento fora da curva lhe rendeu o reconhecimento pela Revista Exame no ranking das 100 empresas que mais crescem no país nos últimos 3 anos.

Prêmio Food Design – XVIII edição – escopo Global Markets*

A Barion foi uma das empresas participantes da XVIII edição do Prêmio Food Design, versão Global Markets APAS.

ENTREVISTA
Apresentaremos a seguir entrevista com Patrícia Amarante, Gerente de Qualidade da Barion.

Mayara: Quais produtos a Barion produz?

Patrícia: A Barion produz: Biscoitos, wafers, wafers recheados, bombons, chocolates, pão de mel e creme de avelã

Mayara: Como é a Política de Segurança de Alimentos da Empresa?

Patrícia: Seguimos a IFS Food 6.1 para tentar a certificação em 2021. A Barion tem um rígido controle de qualidade, com emprego das Boas Práticas de Fabricação, do sistema APPCC e gestão dos fornecedores.

Mayara: Sobre o Programa Global Markets: em que ano a empresa ingressou no programa? O que motivou a empresa? Poderia comentar em que nível que a Barion se encontra?

Patrícia: A Barion ingressou no Programa em 2018 e o que motivou a empresa foi passar a fornecer os produtos para grandes redes de varejo. Atualmente a Barion está no nível intermediário do Programa Global Markets APAS.

Mayara: Quais foram as maiores dificuldades que a empresa encontrou para implementar o Programa Global Markets, especificamente o que está sendo adotado pela APAS? Como essas dificuldades foram superadas?

Patrícia: As maiores dificuldades foram: falta de recursos financeiros, falta de tempo da equipe para se dedicar ao programa e conseguir disciplina da equipe.
As dificuldades foram superadas com realização, desde o início de 2019, de reuniões mensais sobre os Planos de Ação das auditorias recebidas em 2018, GPA, Cacau Show, IFS Global Markets Carrefour e auditoria interna. Nessas reuniões, participaram os gestores da qualidade, industrial (produção e manutenção) e administrativo financeiro. Este último gestor é da família Barion (3ª geração) e vem, desde então, aprovando investimentos em melhorias na estrutura fabril e em equipamentos. Também intensificamos treinamentos com os colaboradores dos três turnos.

Mayara A empresa teve que investir em infraestrura, equipamentos ou utensílios para participar do Programa Global Markets? Se sim, qual foi a média de investimento?

Patrícia: Sim, a média de investimento foi em torno de R$ 150.000,00. A Barion não contratou mão de obra especializada, mas investiu em treinamentos da IFS Global Markets e Food 6.1 e auditor interna para 3 colaboradores (dois da qualidade e um da produção).
Eu, gerente da qualidade fiz o curso de consultora IFS Food em 2016. E desde então estamos seguindo a norma IFS Food em busca da certificação.

Mayara: Quais foram as vantagens da adesão do Programa Global Markets APAS para a Barion?

Patrícia: As principais vantagens para a Barion foram: melhoria na Cultura de Segurança dos Alimentos da empresa e melhoria na gestão.

Mayara: O que motivou a sua empresa a concorrer ao Prêmio Food Design XVIII edição – escopo Global Markets?

Patrícia: Para motivar e sensibilizar os seus colaboradores e para que eles percebam como está sendo importante a participação de cada um para a mudança da Cultura de Segurança de Alimentos numa empresa familiar. Como o comportamento de cada um, desde aquele que executa a tarefa mais simples até ao colaborador que tem maior responsabilidade, faz a diferença para a transformação da empresa. E que se continuarmos unidos em busca do mesmo objetivo, alcançaremos a certificação IFS Food em 2021.

E também para mostrar ao mercado que é possível transformar a Cultura de Segurança de Alimentos numa empresa familiar com quase 60 anos de idade e marcas consolidadas. Com muita dedicação, muito estudo, reuniões, treinamentos, discussões, planejamento e principalmente o comprometimento de todos seus colaboradores e envolvimento dos proprietários, a mudança está acontecendo.

Autor: Relacionamento IRSFD