R&D&I

O Manual de Oslo (Proposta de Diretrizes para Coleta e Interpretação de Dados sobre Inovação – OCDE (Cooperação e o Desenvolvimento Econômico) e Tradução FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos) define que inovação pode ser algo novo ou significativamente melhorado, podendo ser de quatro tipos: de produtos, de processos, organizacional ou de marketing.

Aplicando esses conceitos a micro e pequenas empresas na área de alimentos, pode-se exemplificar como inovação de:

  • Produtos: é a introdução de um bem ou serviço novo ou significativamente melhorado como: adição de um ingrediente funcional em um produto (prebiótico e ou probiótico), desenvolvimento de uma carne à base de soja, atende à demanda de veganos e vegetarianos, desenvolvimento de um pão sem glúten, entre outros.
  • Processos: é a implementação de um método de produção ou distribuição novo ou significativamente melhorado, contemplando mudanças significativas em técnicas, equipamentos e/ou softwares. Tem objetivo de diminuir custos de produção ou distribuição, melhorar a qualidade, produzir ou distribuir produtos novos ou significativamente melhorados. Como a introdução de novos equipamentos de automação em uma linha de produção, sistema de rastreabilidade de produtos por QR code, a implementação de um software para gerenciamento de fornecedores para o setor de compras, entre outros.
  • Marketing: é a implantação de um novo método de marketing com mudanças significativas na concepção do produto ou em sua embalagem, no posicionamento do produto, em sua promoção ou na fixação de preços. Como exemplo: mudança do sabor ou aparência dos alimentos ou bebidas. Modificar a estratégia de vendas, o que antes era só físico passar a ser e-commerce ou delivery.
  • Organizacional: implementação de novos métodos organizacionais, tais como mudanças em práticas de negócios, na organização do local de trabalho ou nas relações externas da empresa, tem como foco aprimorar o desempenho da empresa por redução de custo, como exemplo implementação do 5S, uma mudança de layout ou a implementação do BSC (Balanced ScoreCard) que determina indicadores e metas, com base em quatro perspectivas: clientes, processos internos, aprendizado e crescimento e financeira. Outro exemplo seria a implementação de ferramentas da qualidade que antes não eram empregados pela organização.

Qual a importância da inovação para os pequenos negócios?

A inovação é a maneira no qual a as empresas tornam-se competitivas no mercado e aumentam as suas chances de sobrevivência. Os investimentos em pesquisa e desenvolvimento é o meio de inovar, pois agrega conhecimento a organização e fortalece o empreendedorismo, além da oportunidade de ingressar em novos mercados.

O P&D segundo o Manual Frascati publicado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) pode ocorrer de várias maneiras:

  • O engajamento da empresa pode ser por meio de pesquisa básica ou aplicada para agregar novos conhecimentos e em pesquisas diretas a fim de encontrar inovações específicas ou mudanças de técnicas já existentes
  • O desenvolvimento de novos produtos ou processos ou novas metodologias para verificar se é exequível e viável por meio de: desenvolvimento e teste, pesquisas adicionais para mudanças de desenhos ou funções técnicas

Um guia para empresas que desejam inovar é estudar as tendências apresentadas por pesquisas no segmento de alimentos, existem várias, aqui iremos destacar a Brasil Food Trends 2020, e por qual motivo? Por essa pesquisa ter sido realizada em 2010 e ter levantado a previsão das tendências para o ano de 2020 e que realmente podemos observar são elas:

  • Sensorialidade e Prazer: “O prazer de se permitir comer coisas gostosas sem sentir culpa”. Nesse contexto os consumidores estão dispostos a pagar a mais pelo que consomem e estão dispostos a pagar a mais para ter essa experiência sensorial, como exemplos: Produtos gourmet e premium como chocolates, doces, café, bebidas, entre outros. Produtos artesanais: as cervejas artesanais estão com um mercado crescente, possuem características sensoriais atrativas como aroma, sabor e textura.
  • Saudabilidade e Bem-estar: os consumidores estão mais preocupados com a saúde, o que está refletindo no padrão de consumo e demanda por produtos frescos, naturais e nutritivos. Como orgânicos, com redução de aditivos, com propriedades funcionais, glúten free, lactose free, a base de planta, grãos. O destaque não só do estilo vegetariano, como também do veganos e um pouco mais flexível os flexitarianos.

Não só com o bem-estar do ser humano como também passou a ser considerado o bem-estar animal que contempla um conjunto de cuidados com os animais na sua saúde, nutrição devido a importância do tema teremos um pilar que abordará sobre esse tema.

  • Conveniência e Praticidade: essa tendência está relacionada com o estilo de vida mais agitado, as pessoas trabalham fora e tem o tempo de preparo reduzido para as refeições. Nesse contexto aumenta a demanda de pratos prontos ou semiprontos, em que não precisa de utensílios para consumo, são facilmente preparados, como alimentos congelados que apenas precisam passar pelo micro-ondas.
  • Confiabilidade e Qualidade: os consumidores estão cada vez mais exigentes com os alimentos que consomem, em que a garantia da qualidade, por meio de selos de certificação, QR Code que possibilita saber sobre a rastreabilidade, origem e forma de fabricação dos produtos, o consumidor valoriza a segurança do alimento.
  • Sustentabilidade e Ética: ações sustentáveis são imprescindíveis diante do contexto do meio ambiente a WWF – World Wide Fund for Nature é uma OSC internacional com atuação na área de preservação da natureza e redução do impacto humano no meio ambiente. Essa OSC lançou esse ano o Relatório Planeta Vivo 2020 que está em sua 13ª edição, esse estudo evidenciou uma redução média de 68% em quase 21.000 populações de vida selvagem entre 1970 e 2016. Os eventos catastróficos que estamos presenciando recentemente, tais como: incêndios florestais, pragas de gafanhoto e pandemia da Covid-19 abalaram a consciência ambiental e fica destacada a relevância da conservação da biodiversidade que deve passar a fazer parte do investimento estratégico indispensável para nossa saúde, riqueza e segurança.